Gazeta Apodiense

MENU
Logo
Terça, 09 de março de 2021
Publicidade
Publicidade

Estado

Fim de semana tem aglomerações e vaquejada interditada por fiscalização na Grande Natal

Operação Pacto Pela Vida também interditou bares na capital, por descumprimento a medidas para evitar contaminação pelo coronavírus.

Publicidade
Publicidade
Imagem de capa
A-
A+
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando

As ações integradas da Operação Pacto pela Vida registraram aglomerações e até uma vaquejada com desrespeito às normas de uso de máscara e distanciamento, para prevenção à Covid-19, durante o último fim de semana, entre a sexta-feira (19) e o domingo (21). Os casos foram registrados em Natal e região metropolitana.

As fiscalizações resultaram na interdição de um parque de vaquejada, apreensão de equipamentos de som, dispersão de pessoas em festas e bares em Natal e Grande Natal. Na capital, houve ações de fiscalização e dispersão de aglomerações na Rua Conselheiro Tristão (Redinha), Av. Engenheiro Roberto Freire (Ponta Negra), Rua Araxá (Conjunto Pirangi), Av. Das Alagoas (Neópolis), entre outros.

A operação contou com comboio de 22 viaturas envolvendo a Polícia Militar, Guarda Municipal de Natal, Corpo de Bombeiros, secretarias de Meio Ambiente e Urbanismo; Serviços Urbanos e Mobilidade Urbana.

Um parque de vaquejada localizado no distrito de Caiana, em Extremoz, foi interditado pelas forças policiais por promover competição com aglomeração de pessoas infringindo os decretos de combate à Covid-19.

O comandante da guarda municipal de Natal, Alberfran Grilo, explicou que diversas denúncias foram recebidas pelas equipes de fiscalização que se dividiram para atender os chamados que na sua maioria versavam sobre aglomerações em locais públicos e utilização de equipamentos de som, também gerando concentração de pessoas.

Também devido a um jogo de futebol nacional, alguns bares infringiram as regras com número alto de pessoas no mesmo local.

“Nossas equipes estão dando tudo para combater essas ilegalidades, mas precisamos também que a sociedade nos ajude e respeite os decretos que prezam pela vida das pessoas”, pediu o comandante.

Aviso: Esse conteúdo não reflete a opinião do nosso portal e a sua fonte é g1.globo.com/rn

Créditos: As fotos e vídeos contidos nesta matéria é de inteira e total responsabilidade de G1/RN

Publicidade
Publicidade

Comentários:

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade