Gazeta Apodiense

MENU
Logo
Sexta, 16 de abril de 2021
Publicidade
Publicidade

Coronavírus

Hospital de Campanha de São Gonçalo do Amarante abre 10 leitos de UTI e 10 clínicos

Manutenção dos leitos será custeada 70% pelo governo do estado e 30% pelo município.

Publicidade
Publicidade
Imagem de capa
A-
A+
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando

O governo do Rio Grande do Norte, em parceria com a prefeitura de São Gonçalo do Amarante, vai abrir 10 leitos de UTI e 10 leitos clínicos destinados aos pacientes com sintomas ou diagnosticados com a Covid-19 no Hospital de Campanha de São Gonçalo do Amarante. A medida foi anunciada nesta quinta-feira (4), com objetivo de suprir a carência existente na região metropolitana de Natal, que está com a taxa de ocupação de leitos acima de 90%, segundo dados do Regula RN.

A manutenção dos leitos será custeada 70% pelo governo do estado e 30% pelo município de São Gonçalo do Amarante.
Com 871 pessoas, o Rio Grande do Norte registrou na quarta-feira (3) o maior número internações por Covid-19 desde o início da pandemia. A abertura de novos leitos faz parte do Plano de Contingência Estadual de Enfrentamento à Covid-19 com a finalidade de conter o avanço da doença em todo o estado.

Covid-19: veja a ocupação dos leitos de UTI em Natal
'Vivemos um momento trágico', diz secretário estadual de Saúde sobre cenário da pandemia no RN
A Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) também iniciou a instalação de novos leitos em Mossoró para atender a demanda de pacientes Covid da região Oeste. Serão mais 29 leitos, distribuídos da seguinte maneira: 10 de UTI no Hospital São Luiz e 16 leitos clínicos no Hospital Rafael Fernandes, mais uma UTI e dois outros leitos semicríticos no Hospital Regional Tarcísio Maia. Segundo o órgão, somando aos já existentes na cidade, a estrutura (adulto e pediatria) para atendimento de pacientes vítimas da doença passa a ser de 133 leitos, entre críticos e clínicos.

Superlotação
Nesta quinta-feira (4), a Maternidade Escola Januário Cicco (MEJC), ligada à Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), em Natal, informou que trabalha 20% acima de sua capacidade de atendimento. "Todos os leitos das enfermarias, Unidades de Terapia Intensiva e destinados à Covid-19 estão ocupados, de modo que, temporariamente, não há condições de atendimento a novas pacientes", informou a unidade, por meio de nota. "A enfermaria de alto risco, atualmente com 17 leitos, encontra-se com 50% acima de sua capacidade. Por isso, é recomendável que as grávidas, portadoras de Covid-19, sejam encaminhadas para outras maternidades, já que estamos com 100% dos leitos destinados à Covid-19 ocupados", acrescentou.

Medidas
Também nesta quinta-feira, o secretário estadual de Saúde Pública, Cipriano Maia, destacou que não adianta abrir novos leitos se o número de casos continuar subindo. Em entrevista ao Bom Dia RN (veja abaixo), ele afirmou que o estado deverá anunciar novas medidas de restrição para tentar conter o avanço das contaminações e internações.

Governo deve anunciar amanhã novas medidas restritivas para conter pandemia no RN

"Vivemos um momento trágico, um momento triste, onde estamos vendo cada dia mais o sistema de saúde superlotado, saturado, em muitas regiões, em muitos estados do país, e aqui não seria diferente. Estamos abrindo leitos, mas essa abertura de leitos tem um limite humano, de profissionais, e ainda de insumos, de equipamentos", falou.


No podcast O Assunto desta quinta-feira (4), o jornalista potiguar Matheus Magalhães relatou o caso do próprio pai, que precisou de um leito de UTI em Natal, mas só conseguiu atendimento em um hospital militar de Recife.

 

Aviso: Esse conteúdo não reflete a opinião do nosso portal e a sua fonte é g1.globo.com/rn

Créditos: As fotos e vídeos contidos nesta matéria é de inteira e total responsabilidade de Wendell Jefferson

Publicidade
Publicidade

Comentários:

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade