Gazeta Apodiense

MENU
Logo
Sábado, 27 de fevereiro de 2021
Publicidade
Publicidade

Estado

Vacinação no Rio Grande do Norte terá 3 etapas

Entretanto, o governo não divulgou quantas doses seriam enviadas

Publicidade
Publicidade
Imagem de capa
A-
A+
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando

Primeira etapa de vacinação no Rio Grande do Norte foi dividida em três fases. A primeira terá como alvo os trabalhadores da saúde, pessoas com 75 anos ou mais, pessoas com 60 anos ou mais que estejam internadas em instituições de longa permanência, população indígena e povos e comunidades tradicionais ribeirinhas. Na segunda fase, serão imunizadas as pessoas entre 60 e 74 anos de idade. E, na última fase, estão pessoas que possuem comorbidades (diabetes mellitus; hipertensão; doença pulmonar obstrutiva crônica; doença renal; doenças cardiovasculares e cerebrovasculares; indivíduos transplantados de órgão sólido; anemia falciforme; câncer e obesidade grave).

A Sesap também incluiu professores (do Ensino Básico ao Superior), pessoas privadas de liberdade (incluindo adolescentes e jovens sob medida socioeducativa), funcionários do sistema prisional e demais profissionais das forças de segurança e salvamento. No total, incluindo esses grupos que ficaram fora da primeira etapa, 803.914 pessoas estão no conjunto prioritário do Rio Grande do Norte. Eles serão vacinados nas demais fases, de acordo com o cenário de disponibilidade de vacinas e estratégias de vacinação.

Apesar de apresentar uma data estipulada para o início da vacinação, o calendário do plano elaborado pelo Governo do Rio Grande do Norte está condicionado a dois fatores: a aprovação das vacinas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e a compra das doses pelo Governo Federal para inclusão no Programa Nacional de Imunização (PNI). Segundo o plano nacional, apresentado pelo governo federal, o projeto é negociar 350 milhões de doses para 2021, suficiente para imunizar 175 milhões de brasileiros com duas doses.

Em paralelo, o governo estadual assinou um memorando de entendimento com o Instituto Butantã que sinaliza uma quantidade de doses de interesse para aquisição pelo Rio Grande do Norte, a exemplo de outras unidades federativas. Entretanto, o governo não divulgou quantas doses seriam enviadas.

Segundo a secretária adjunta da Sesap, Maura Sobreira, ainda não há um custo firmado das vacinas para as quais o Rio Grande do Norte sinalizou interesse. “O que há é um entendimento da necessidade de oferta dessas doses. A aquisição por parte do Estado está condicionada à não inserção dessa vacina no PNI”, explicou no dia 18 de dezembro, data em que apresentou o plano estadual de vacinação.

Aviso: Esse conteúdo não reflete a opinião do nosso portal e a sua fonte é www.tribunadonorte.com.br

Créditos: As fotos e vídeos contidos nesta matéria é de inteira e total responsabilidade de Divulgação

Publicidade
Publicidade

Comentários:

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade